Trabalhar com desenvolvimento web é algo muito bom; entretanto, tem também seus aspectos negativos – como tudo nesta vida. há algum tempo atrás, em discussão com um ex-colega de um ex-trabalho, entramos em uma seara muito complicada e delicada de se tratar; na verdade, uma discussão profissional que já foi iniciada há anos atrás e, obviamente, continuará a existir.

A questão principal era “É preciso apresentar um design para o cliente antes de fechar um contrato ou deve-se fechar o contrato antes para, somente depois, mostrar os primeiros esforços”? Esta, na verdade, não é uma questão meramente restrita ao desenvolvimento para web. Existe em diversas áreas de atuação, mormente às relacionadas a artes, abstração, etc – os exemplos do Guia do Ilustrador não me deixam mentir.

O objetivo, aqui, não é de convencer ninguém a pensar conforme uma opinião ou outra mas, sim, expor ambos pontos de vista para que a discussão sobre o assunto continue e todos nós possamos aprender e refletir mais a respeito.

O difícil é convencer

Como comentei, é complicado para um profissional da área de desenvolvimento web – e outras muitas – de “convencer” o cliente de fechar um contrato antes mesmo de aprensentar algo “palpável”. E difícil para uma pessoa pagar por algo (ou começar a pagar) que sequer viu e não verá durante um tempo, não é? A resposta é “Depende”!

Se você quer dar um novo visual a seu jardim e contrata um paisagista, você não vai dizer que somente paga pelo trabalho dele depois de ver o resultado, somente se este lhe agradar… Um médico não cobra a cirurgia plástica somente se a pessoa agradar do resultado. Ele faz o que precisa ser feito, conforme as “especificações” passsadas pelo paciente, e pronto.

Mas parece que quando o assunto é desenvolvimento web, a coisa muda… As pessoas têm dificuldade, não sei por quais motivos, de aplicar o mesmo raciocínio para o desenvolvimento de web sites e sistemas virtuais, em geral. O fato é que alguns cliente insistem em ser inflexíveis em relação a fechamento de contratos quando não vêem um design ou um layout, que seja, e pensam que estão pagando “à toa”, que não será confiável, etc.

Portfolio, clientes, teoria e prática

Realmente, em alguns casos a pessoa pode levar gato por lebre, mas, para isso mesmo, é que o profissional, a agência, grupo de amigos ou o que for, devem ter um portfolio! É através do portfolio que o potencial cliente poderá ver a qualidade dos serviços que são prestados e optar por fechar o contrato do desenvolvimento, ou não (caso ainda não tenha um, leia o artigo sobre como montar um portfolio sem ter clientes).

Na discussão argumentei isso, que o portfolio deve ser consultado pelo cliente para auxiliar em sua decisão, que é possível enviar uma apresentação multimídia com alguns trabalhos dias antes da reunião, enfim, que o cliente deve ter a oportunidade de consultar trabalhos já feitos antes de, efetivamente, fechar o contrato e contratar os serviços de desenvolvimento.

Já o ex-colega disse que a “realidade do mercado” é outra; que na teoria é assim, mesmo, e tudo é muito bonito, mas, na prática, se você chegar e disser isso a um cliente, que só vai apresentar algo para ele ver depois de o contrato fechado, ele responde que existem mais X desenvolvedores e que vai fazer o projeto com eles, então… Resultado, um cliente um job a menos.

E o Briefing?

Então, contra argumentei que é impossível mostrar algo focado àquele cliente sem antes fazer um bom briefing de desenvolvimento web. Que, para fazer isso, apresentar um design sem fazer um briefing, só mesmo trabalhando com modelos de sites prontos e templates… Falei sobre o artigo onde cito a opção de fazer um briefing preliminar e um briefing mais detalhado e sobre várias coisas a respeito, que inclusive já escrevi sobre no artigo de briefing para web sites, aqui no desenvolvimento para web.

Ele chegou a concordar na parte do briefing, mas disse que o modus operandi é fazer o briefing final antes mesmo de se fechar o contrato, para passar o orçamento e, se este for aprovado, continuar com o desenvolvimento.

No fim, ninguém mudou de idéia…

Como na maioria das discussões, todos os envolvidos saem com as mesmas opiniões que tinham antes, no máximo com a informação de um novo ponto de vista ou a “suavização” de determinados aspectos. Então, eu continuo pensando que o correto é se fazer briefing(s) e só apresentar um design depois de o contrato fechado e o ex-colega continua pensando que a “realidade do mercado” obriga a tomar outro rumo, quer dizer, que é preciso, para conquistar e manter clientes, que se apresente um design antes de se fechar contato; caso contrário, o cliente vai buscar o serviço em outro lugar.

Meu ex-colega era o responsável pelas vendas e contato com clientes aqui na empresa onde trabalho na empresa em que trabalhávamos; ele é formado em marketing e lida com o público há vários anos, o que o capacita a dizer o que diz devido à sua prática. Portanto, respeito muitíssimo a opinião dele.

Entretanto, continuo com minha humilde opinião, de quem mais desenvolve a web do que fecha contratos; continuo pensando que o portfolio é o principal “trunfo” para a decisão de o cliente contratar você ou não, e que as principais especificações de um projeto web devem ser “descobertas” através da feitura de um bom briefing.

E você, qual sua opinião sobre isso? O melhor é fechar o contrato antes e apresentar o design depois ou apresentar o design antes para, só depois e se aprovado, fechar o contrato?