No quarto artigo da série, falo sobre um importante princípio de Gestalt: o princípio da boa continuidade ou princípio do alinhamento.

Este artigo é parte da série “Gestalt aplicado ao design web“. Confira a lista de todas as partes, até agora:

Geralmente quem está começando a mexer com web design, tende a colocar os elementos visuais da composição de forma um tanto que ao acaso, tentando preencher qualquer espaço em branco que apareça. O mais triste é que fazem isso, geralmente, desconsiderando os demais elementos constituintes. Quando o site é inaugurado, os visitantes perceberão que há algo errado (embora não conseguirão dizer, exatamente, o quê).

Na verdade, o que acontece é que o web designer não se atenta para um importantíssimo princípio de Gestalt: o princípio da boa continuidade ou princípio do alinhamento.

Segundo o princípio do alinhamento (gosto mais dessa nomenclatura), cada elemento constituinte de um layout deve ter uma conexão visual com outro elemento. Quer dizer, nada deve ser feito/colocado arbitrariamente, sem levar em consideração a totalidade da composição. E essa “conexão” pode ser feita alinhando os elementos que precisam passar a idéia de que são ligados. Mesmo estando distantes um do outro, estes elementos, se corretamente alinhados, transmitem a idéia de “relacionamento”.

Quando os elementos de um design estão inter-relacionados, quem olha percebe, intuitivamente (ou inconscientemente, se preferível), que aquela é uma estrutura mais coesa, forte, mais organizada! Aplicando a lei da proximidade, podemos indicar que elementos próximos são interconectados; através do princípio do alinhamento, podemos indicar que elementos distantes mantém uma relação, quer dizer, fazem parte da mesma “transmissão” (de idéias, conceitos, sentimentos, etc).

No próximo artigo da séria sobre Gestalt: exemplos do princípio do alinhamento aplicados ao web design.