Era uma vez um mundo em que, se você dissesse a palavra “design“, as chances eram esmagadoramente favoráveis a você estar falando sobre Design Gráfico. Mas, hoje em dia, o mundo digital está se tornando cada vez mais complicado, com um monte de novos postos de trabalho que aparecem, que levam a confusão às pessoas “de fora” ou que são novas no ramo de design.

Veja neste artigo uma rápida visão sobre as quatro formas primárias diferentes de design — UX, UI, IA, IxD — para ajudar a entender o que cada um significa e quais suas reais funções.

UX Design (User Experience Design ou Design de Experiência do Usuário)

UX Design (User Experience Design ou Design de Experiência do Usuário)

Design de Experiência do Usuário (User Experience Design ou UX), como é possível encontrar na Wikipédia, é

o processo de aumentar a satisfação do usuário melhorando a usabilidade, acessibilidade e prazer proporcionado na interação entre o usuário e o produto. User Experience Design engloba a tradicional Interação Humano-computador (HCI), estendendo-a ao abordar todos os aspectos percebidos de um produto ou serviço.

O UX Designer (ou Designer de UX) é a pessoa responsável pela lógica do produto através de wireframes e protótipos feitos em programas como Axure, Mockplus, Justinmind etc. A comunicação é uma das habilidades críticas dos Designers de UX. Eles também realizam pesquisas, análises competitivas, bem como testes de usabilidade e testes A/B. Designers de UX são especialmente preocupados sobre as sensações que o produto pode proporcionar. Se um site ou app é difícil de usar, as pessoas provavelmente ficam frustradas e desistem de o usar; se têm uma boa experiência, estão mais propensos a voltar e dizer a seus amigos o quão bom aquele produto é.

UI Design (User Interface Design ou Design de Interface)

UI Design (User Interface Design ou Design de Interface)

Jesse James Garrett, autor e fundador da Adaptive Path, define Design de Interface (User Interface Design ou UI) como a capacidade de selecionar os elementos certos da interface — como texto, botões, campos de texto, cor listas codificadas etc — para a tarefa que a pessoa está tentando realizar e os dispor na tela de uma maneira que estes serão facilmente compreendidos e usados. O objetivo é fazer com que as interações das pessoas com o produto sejam tão simples e eficientes quanto possível.

IA (Information Architecture ou Arquitetura da Informação)

IA (Information Architecture ou Arquitetura da Informação)

Arquitetura da Informação (Information Architecture ou IA) envolve a maneira de como um site/app é estruturado e como o conteúdo é organizado. O objetivo é ajudar as pessoas a encontrarem informações e completar tarefas. Como consta no artigo (numa tradução livre) “Complete Beginner’s Guide to Information Architecture“, Arquitetura da Informação

é a criação de uma estrutura para um site, aplicativo ou outro projeto, que permita entender onde estamos enquanto usuários e onde as informações que queremos está em relação à nossa posição. Arquitetura da Informação resulta na criação de mapas de sites, hierarquias, categorizações, navegação e metadados. Quando um estrategista de conteúdo começa a separar o conteúdo e a o dividir em categorias, está praticando Arquitetura da Informação. Quando um designer esboça um menu de nível superior para ajudar os usuários a entenderem onde se encontram em um site, ele também está praticando Arquitetura da Informação.

Algumas qualificações de IA:

  1. Documentar propriedades digitais complexas (web sites, aplicativos móveis, produtos e serviços de sistema)
  2. Documentar com extremismo de detalhes, capacidade de encontrar discrepâncias etc entre a complexa documentação de um site
  3. Proficiência com Mockplus, Axure, Omnigraffle, Keynote, bem como Visio e qualquer outro programa diretamente relacionado a IA
  4. Analisar as informações e ativos (assets) disponíveis dentro de uma abordagem de IA ideal
  5. Habilidades sólidas de comunicação (escrita e verbal, ao pessoal de agências e clientes)
  6. Ser analítico, trabalhando duro, com criatividade, curiosidade e interesse em pessoas e idéias
  7. Ser pró-ativo

IxD (Interaction Design ou Design de Interação)

Segundo é possível encontrar na definição da missão de IxD (Interaction Design ou Design de Interação) em “IxDA Mission” (tradução livre), o Design de Interação

define a estrutura e o comportamento de sistemas interativos. Designers de Interação se esforçam para criar relacionamentos significativos entre as pessoas e os produtos e serviços que elas usam, desde computadores a dispositivos móveis e além.

Para ajudar no entendimento, a descrição do trabalho de Designer de Interação na Google é:

No papel de Designer de Interação, você vai lidar com tarefas complexas e transformá-las em projetos intuitivos, acessíveis e fáceis de usar para bilhões de pessoas ao redor do mundo, desde o usuário novato até o mais sofisticado especialista. A consecução deste objetivo requer a colaboração com as equipes de designers, pesquisadores, engenheiros e gerentes de produto em todo o projeto, desde a criação de fluxos de usuários e wireframes até a construção de mockups e protótipos. Em cada fase, você vai antecipar o que nossos usuários precisam, advogar por eles e garantir que as surpresas e produtos finais irão deleitá-los.

Conclusão sobre a confusão entre UX, UI, IA e IxD

Os limites entre cada um destes vários papéis de design às vezes podem não ser muito claros, podendo ser até considerados como fluidos.

Num resumo-simplificação, é possível chegar à seguinte conclusão sobre os papéis de UX, UI, IA e IxD:

Por último, mas não menos importante, os limites entre cada um destes vários papéis de design às vezes podem não ser muito claros, podendo ser até considerados como fluidos. Por exemplo, o IxD é bastante similar ao Design de UX em sua abordagem, uma vez que faz parte do ciclo de design UX.

Sanadas as diferenças entre UX, UI, IA e IxD e devidamente explicados os papéis de cada profissional envolvido nessas áreas do design, também agora ficam mais claras as semelhanças entre elas. Munido destas informações, certamente você poderá realizar análises mais acuradas dos processos que envolvem o desenvolvimento de sites/apps e embasar melhor suas decisões profissionais a partir de agora.