Um profissional, de qualquer área de atuação que for, precisa ter um bom portfolio para apresentar a seus potenciais clientes e, também, aos atuais clientes que o queiram ver por algo motivo. Montar um portfolio é tarefa que, depois de iniciada, não termina jamais, pois a tendência é continuar desenvolvendo projetos e incrementando a “carteira de jobs” que se tem.

Há alguns dias, quando escrevi o artigo sobre fechamento de contratos e designs para web, surgiu a dúvida do leitor Nu sobre a situação de ainda não se ter um portfolio para mostragem dos trabalhos e pinta a indicação de um trabalho. Realmente é uma situação delicada e, pensando melhor sobre o assunto, resolvi escrever este artigo.

Sobre “portfolio”

Para começar, comunico que sou de acordo com o que escreveu Luiz Gonçalves, em seu artigo “Portfolio, portifólio e portfólio… qual a grafia correta?“, onde explica que, no caso de brasileiros, o mais conveniente é optar pelo uso da grafia “portfolio“, em detrimento a “portifólio” e “portfólio“.

Penso que um dos primeiros passos para fazer as coisas corretamente é estabelecer quais as terminologias você vai usar e, acompanhando opiniões sérias e estudos feitos sobre os assuntos de sua área de atuação, escolher as que julga pertinentes. É o caso para “portfolio”.

Algumas considerações sobre portfolio

Ter um portfolio serve, primariamente, para mostrar a clientes o que você já fez e como anda sua evolução de sua qualidade de trabalho – comparando trabalhos passados com projetos mais recentes -; o portfólio tem o objetivo de mostrar a qualidade de seu trabalho e se você se adapta às tendências de sua área de atuação.

Através de seu portfolio os clientes poderão avaliar seu trabalho, como é seu estilo, se você é capaz de “se adaptar”, se sabe contextualizar seus trabalhos às necessidades de cada cliente. O portfólio serve para mostrar do que você é capaz.

Como começar um portfolio

Ter um portfolio é de extrema importância para começar a conquistar novos clientes. Afinal, como bem disse Wellington Carrion, em seu artigo “Portfólio, inimigo ou aliado?“,

É complicado avaliar um profissional que não possui um portfólio. Como você avalia um professor de web que não possui sites de sua autoria? Será que um cliente aceitaria fazer um site com alguém que não tem o que mostrar? Você contrataria um pedreiro para trabalhar em sua casa sem referências? (sic)

Concordo plenamente com os dizeres mas, antes de discutir sobre estas questões, o importante é ter trabalhos prontos; é ter conteúdo de qualidade para se colocar no portfolio!

Essa é uma questão complicada porque, erroneamente, você pode pensar que acontece um “looping infinito”: não se consegue um cliente porque não se tem um portfolio; mas não se tem um portfolio porque não se consegue um cliente… Saiba de uma coisa, colega: as coisas não são bem assim. ;-)

Se você não tem algo, crie! Sempre foi assim com as invenções do mundo e vai continuar sendo! Sempre que alguém queria alguma coisa e essa “coisa” não existia, esse “alguém” a criava – e é assim até hoje. O mesmo se aplica para o caso dos portfolios: se você não tem um portfolio, crie um!

Algumas sugestões para se criar um portfolio, mesmo sem ter “clientes oficiais”:

Considerações finais sobre ter um portfolio sem ter clientes

As sugestões sobre como iniciar um portfolio sem ter “clientes oficiais” não se limitam a isso; na verdade, a limitação é de sua mente ilimitada! Entendeu? ;-)

Começar a fazer trabalhos para terceiros não é tão difícil como parece; o mais importante é se manter atualizado em seu ramo de atuação e evoluir suas técnicas de desenvolvimento para tornar-se uma referência no que faz, seja em sua cidade, no seu país ou no mundo!

Depois de ter alguns projetos no portfolio – o número exato é uma questão controvertida, mas, pessoalmente, acredito que algo em torno de 10 sites está de bom tamanho – é hora de buscar os clientes “de verdade”, rumo à iniciação de sua carreira profissional no desenvolvimento web.

Então, quando fizer os (hot) sites para seus amigos, colegas, parentes, etc, divirta-se no processo, mas leve a sério! Afinal, são estes os primeiros trabalhos que você terá em seu portfolio e, tenha certeza, os clientes os levarão a sério no momento de decidir uma contratação, ou não. Faça o melhor que puder!

Como disse, as sugestões apresentadas sobre como iniciar um portfolio não se encerram naquela lista; você tem alguma sugestão de como iniciar trabalhos no desenvolvimento web para montar um portfolio?