A maioria já compreendeu que desenvolvimento web é o ramo/campo de atuação mais dinâmico que existe atualmente. Todos os dias novos conteúdos, técnicas e abordagens sobre seus diversos segmentos são descobertos, divulgados, testados e aprovados, começando novamente num ciclo de constante aprimoramento.

E essa dinamicidade não diz respeito a somente conteúdos sobre o que já existe; também é sobre novas ramificações do conhecimento web que surgem. É o caso da Estratégia de Conteúdo.

Este artigo é baseado no post “Content Strategy” do Google Knol.

Visão Geral

Estratégia de Conteúdo ou Content Strategy é uma área de atuação emergente dentro do mundo do desenvolvimento web – considerada por alguns especialistas como uma parte do Design de Experiência do Usuário (User Experience Design ou UXD), mas isso não é unânime.

A Estratégia de Conteúdo também descreve os papéis, produtos de trabalho, abordagens, conhecimentos, técnicas, metodologias e perspectivas do profissional da área, o estrategista de conteúdo.

Conteúdo

Conteúdo é substância. Não importa a plataforma, publicação ou formato, o conteúdo se refere a tudo o que transmite um significado:

Estratégia de Conteúdo

Estratégia de Conteúdo é um campo emergente de prática que engloba todos os aspectos de conteúdo, incluindo a sua concepção, desenvolvimento, análise, apresentação, medição, avaliação, produção, gestão e governança.

Kristina Halvorson, autora de Content Strategy for the Web, define Estratégia de Conteúdo como “a prática de planejamento para criação de conteúdo, entrega e governança”.

Rahel Anne Bailie estendeu a definição de Estratégia de Conteúdo como “um processo repetitivo ou metodologia que gerencia conteúdo dentro de seu ciclo de vida inteiro”. Esta definição reconhece que ciclos de vida iterativos conteúdo vão além da entrega e, não necessariamente, começam com a criação de conteúdo.

No livro The Web Content Strategists Bible, Richard Sheffield dá ênfase à importância do processo editorial da Estratégia de Conteúdo.

Estratégia de Conteúdo: Ciclo de Vida do Conteúdo

Ciclo de Vida do Conteúdo, segundo Erin Scime (clique para aumentar)

Estratégia de Conteúdo: metodologias

Como é que se aplica este pensamento ou “se faz” Estratégia de Conteúdo? Rahel Bailie partilha a sua metodologia:

O Ciclo de Vida do Conteúdo é um sistema de repetição que rege a gestão de conteúdo. Os processos dentro de um Ciclo de Vida do Conteúdo são “agnósticos”. Os processos são estabelecidos como parte de uma Estratégia de Conteúdo e implementados durante o Ciclo de Vida do Conteúdo.

O Ciclo de Vida do Conteúdo abrange quatro fases macro: Análise Estratégica, Coleta de Conteúdo, Gestão do Conteúdo e Publicação (que inclui a publicação e a pós-publicação). O Ciclo está em vigor se o conteúdo é controlado por um CMS ou não, se ele é traduzido ou não, se ele é excluído no final de sua vida ou revisado e re-utilizado. O quadrante de análise compreende a Content Strategy; os outros 3 quadrantes são mais de natureza tática, com foco na implementação da Estratégia de Conteúdo.

Estratégia de Conteúdo: Ciclo de Vida do Conteúdo segundo Rahel Bailie

Ciclo de Vida do Conteúdo segundo Rahel Bailie (clique para ampliar)

Análise

Na fase de Análise, o Ciclo de Vida do Conteúdo diz respeito aos aspectos estratégicos do conteúdo. Um estrategista de conteúdo (ou Analista de Negócios ou Arquiteto da Informação ou Escritor) examina a necessidade de vários tipos de conteúdo dentro do contexto do negócio e dos consumidores de conteúdo para várias saídas em múltiplas plataformas.

A Análise tem uma influência sobre a forma como a Estratégia de Conteúdo é implementada em outros quadrantes do Ciclo de Vida do Conteúdo. Em um novo projeto com novos conteúdos, este é o início do processo. Na maior parte do tempo, o processo vai começar em algum outro lugar no ciclo; depende muito de uma multiplicidade de fatores envolvidos na mudança de conteúdo de um estado atual para um estado futuro.

Coleta

A Coleta pode se dar através do desenvolvimento de conteúdo – criação de conteúdo ou edição de conteúdo de terceiros -, conteúdos de outras fontes, incorporação de conteúdo ou um híbrido de integração de conteúdo e convergência – por exemplo, mashups.

Gestão

O quadrante da Gestão concerne ao uso eficiente e eficaz do conteúdo. Em organizações que usam a tecnologia para automatizar o gerenciamento de conteúdo, o aspecto da gestão assume o uso de um CMS. Em organizações com pequenas quantidades de conteúdo, com pouca necessidade de controle de fluxo de trabalho, um gerenciamento manual é até possível. No entanto, em grandes empresas, há muito conteúdo e há muitas variações da produção de conteúdo, portanto um CMS se faz obrigatório.

O potencial de configuração de conteúdo é enorme e se baseia nas informações recolhidas durante a fases de Análise e Coleta. As soluções serão muito contextualizadas e giram em torno das entradas e saídas, as variáveis ​​conteúdo exigido, a complexidade do pipeline de publicação e as tecnologias em jogo. As perguntas mais básicas giram em torno da adoção de padrões e tecnologias e determinação de componentes, granularidade de conteúdo e o quão longe o pipeline de publicação irá implementar técnicas específicas.

Publicação

O quadrante da Publicação trata dos aspectos de conteúdo que acontecem quando o conteúdo é entregue para a plataforma de output. Publicar o conteúdo é apenas um ponto na iteração do Ciclo de Vida; existem considerações na pós-publicação, tais como reutilização e políticas de retenção que requerem atenção.

Estrategistas de Conteúdo

Mas as perspectivas estrategistas de conteúdo dependem bastante da formação, educação e influência do profissional.

Por exemplo, alguns se especializam em Análise de Conteúdo, que é mais sobre trabalhar com metadados, taxonomia, SEO e as maneiras em que a boa aplicação desses conceitos dá suporte ao conteúdo.

Outros preferem rumar para estratégias de Web Editorial, diretrizes e ferramentas que pode se estender a gestão da mudança organizacional. Esta forma de Estratégia de Conteúdo pode estar preocupada com o desenvolvimento de novas formas de conteúdos, tais como multimídia ou várias tecnologias de “gestão de presença”, como microblogs.

Há, também, outra corrente que simpatiza mais com os objetivos da Arquitetura da Informação. Neste caso, a Estratégia de Conteúdo envolve a escrita do Copy do site para as páginas do site novo e adaptar o conteúdo para as já existentes.

Todos os estrategistas de conteúdo estão familiarizados com uma grande variedade de aplicações e ferramentas e, muitas vezes, são responsáveis ​​pela implementação e treinamento de pessoas para melhor usá-las.

Estratégia de Conteúdo: Colaboração com Estrategista de Conteúdo

Colaboração com Estrategista de Conteúdo, por Richard Ingram (clique para ampliar)

Educação e Formação Profissional

Estrategistas de conteúdo surgem de uma variedade de disciplinas acadêmicas formais e profissionais:

Empregadores proeminentes de estrategistas de conteúdo

Apesar de ser uma profissão relativamente nova, mega-empresas de renome internacional já contrataram ou estão contratando estrategistas de conteúdo. Alguns exemplos:

Estratégia de Conteúdo: empresas que contratam

Estratégia de Conteúdo: Produtos de Trabalho (ou Entregas)

Os Produtos de Trabalho (ou Entregas) típicos de Estratégia de Conteúdo são diversos e dependem das necessidades da empresa e do know-how do estrategista de conteúdo. Shelly Bowen diz:

Alguns estrategistas de conteúdo também são (no fundo) escritores, editores, designers ou arquitetos de informação. Esse background influencia não apenas a estratégia, mas, também, as Entregas.

A mesma Shelly Bowen também indica esta lista Estregas como guia:

O que se quer alcançar?

O que se tem?

O que está faltando?

Como apresentar as palavras?

Aonde se quer chegar?

Como fazer acontecer?

Como se manter organizado?

Como saber se se está correto?

O que vem a seguir?

Aqui está algumas ideias e exemplos concretos de aplicação de Estratégia de Conteúdo, mostrados por Colleen Jones.

Modelos e Guias para download

A seguir, alguns recursos de Estratégia de Conteúdo, fornecidos por Kevin P. Nichols.

Leitura Complementar

Blogs sobre Estratégia de Conteúdo

Livros sobre Estratégia de Conteúdo

Artigos e publicações importantes

Conclusão

No Brasil, pouco se tem falado a respeito, mas, como pôde ser visto no artigo, Content Strategy, apesar de ser uma área de atuação relativamente nova, já conta com uma excelente bagagem advinda de outras áreas de conhecimento e muito, muito conteúdo para ser estudado e aprendido.

A entrada de cada vez mais empresas no ambiente digital, aliada à necessidade das que já estão em aprimorar sua presença e atuação, certamente o estrategista de conteúdo começará a ser um profissional bastante requisitado e, não duvide, será um elemento-chave para o meio online futuro.

Assim como hoje não é sequer imaginável um projeto web sem alguém com conhecimentos de Usabilidade, Design e Programação, brevemente o mesmo acontecerá para a Estratégia de Conteúdo.