Muito já foi dito e muito ainda o será a respeito da relação entre clientes e o profissional de desenvolvimento web. Mas, como todos devem saber, recém-formados e profissionais com diferentes experiências chegam a todo momento e, para estes, é importante ter uma base de comparação, um “norte”, a respeito de como esta relação deve ser pautada.

Existem diferentes técnicas, tabelas, manuais e guias, desenvolvimento por pessoas mais experimentadas que tiveram o intuito de prevenir comportamentos insalubres por parte daqueles que estão chegando ao “mercado” mais recentemente. Um belo exemplo é o Guia do Ilustrador, que, apesar do nome, também é excelente referências para profissionais de diferentes áreas, tais como o desenvolvimento web. Aqui, mesmo, no blog, já foram abordados assuntos relacionados a isso, em artigos que trataram sobre parcerias de trabalhos em desenvolvimento web, fechamento de contratos e designs para web e falando um pouco sobre programadores PHP e o mercado.

Recentemente, também, Montalvo Machado fez um vídeo comentando sobre “tabelar” os serviços de profissionais. No caso, foi focado mais em sua área de atuação, a Ilustração, mas, novamente, tem tudo a ver com o mercado web. Um vídeo que, sem sombra de dúvidas, vale a pena assistir.

Para descontrair um pouco, veja este vídeo que mostra, usando o humor para mostrar uma realidade não tão engraçada, como seriam situações em que clientes de “nossa área” usam seus já conhecidos argumentos para outros tipos de negócio (ative as legendas):

O que estamos acostumados a escutar sempre, nos casos mostrados no vídeo soa muito mais estranho (para usar um eufemismo), não é verdade?

Então, se você está chegando agora no mundo real do desenvolvimento web e quer começar com o pé direito, inspire-se nos materiais indicados aqui e procure se informar ainda mais, buscando quantas referências e conselhos de profissionais mais experientes você conseguir encontrar. Ser um desenvolvedor web profissional é mais do que saber programar: envolve estar à par de outros conhecimentos importantes como usar um bom contrato (com uma consultoria jurídica, de preferência); saber lidar com o cliente de maneira amistosa; ser coerente e justo e; o mais importante, ter bom senso!