No desenvolvimento para web o que não faltam são oportunidades para participar de projetos, quer seja individualmente, quer seja através de parcerias. Falando especificamente de trabalhos freelancers,é muito importante que se tenha uma boa rede de relacionamentos (o tão falado network) para não “deixar esfriar” a atuação no mercado “freela” de desenvolvimento web.

Entretanto – e infelizmente -, nem sempre as parcerias estabelecidas para o desenvolvimento de um projeto dão os frutos esperados, gerando desagradáveis situações entre as partes – muitas vezes causadas unilateralmente – que, de uma forma ou de outra, dão por consequência o descrédito e a não confiança na parte que não honrou com os compromissos previamente estabelecidos – pode-se falar, inclusive, em cancelamento da parceria no meio do projeto, o que, muitas vezes, culmina em cancelamento deste.

A escolha dos parceiros

Muito se diz e se escreve sobre ter uma excelente rede de relacionamentos. O que não se diz muito é como estimar que “tal” ou “qual” parceria/projeto dará certo; como saber qual pessoa dá mais indícios de que honrará com suas tarefas e demais acordos feitos.

Acredito eu que a resposta para estas perguntas pertence mais à seara da psicologia! Saber essas coisas, a meu ver, é impossível! Para quem desconhece o comportamento humano (eu, por exemplo), saber, de antemão, sem ter realizado algo com a pessoa anteriormente e/ou sem ter recebido uma indicação pessoal, é tarefa impossível! Se o “geral” já é complicado, imagine cada caso, individualmente; cada pessoa, com suas peculiaridades e jeito próprio…

Existem diversas maneiras de se escolher/trabalhar com parceiros de desenvolvimento. Cito algumas:

Indicação

Quando alguém que você já conhece/trabalha/trabalhou indica alguém para uma , um pouco da credibilidade e confiança que você nutre por esta pessoa será “transferido” para a indicação que esta fez – obviamente estou falando de pessoas sérias e compromissadas. É bem mais tranquilo conhecer e realizar projetos com uma pessoa que foi indicada por alguém que você já conhece. A própria indicação, em si, denota que quem indicou já realizou trabalhos com a pessoa e, por ter considerada a experiência positiva, fez a indicação.

Antigo colega de trabalho

É muito comum a situação de se trabalhar em uma agência, por exemplo, e, depois de ter saído daquele emprego, manter contato com alguma(s)  pessoa(s) que permaneceu(ram). Neste caso, o fato de você já conhecer o estilo da pessoa, seu modus operandi, a “dinâmica”, o time, personalidade, dentre outras características – que você sabe por já ter trabalhado com a pessoa -, contribuem enormemente para que, no caso de um freela que necessita das capacidade do antigo colega de trabalho, você saber a quem recorrer.

Colega de faculdade

Outra situação comum é a pessoa ainda na faculdade conseguir freelas para fazer. Dependendo do projeto, a participação de mais pessoas é fundamental. Então, nada melhor que selecionar, dentre os colegas que levam os estudos a sério, qual(is) tem o melhor perfil para o projeto. Outra situação é, mesmo depois que a faculdade terminar, você ainda manter contato com alguns ex-colegas e, de forma semelhante, recorrer aos respectivos e-mails caso apareça algum job que necessite de pessoal extra.

Sites de projetos

Muito comuns são os sites que tem por objetivo o cadastro/divulgação de pessoas e jobs. Após realizar alguns projetos pelo site, você já começa a ficar conhecido e o volume de serviço pode aumentar. Principalmente nessa situação, onde você não conhece as pessoas com quem vai trabalhar, é preciso cuidado redobrado, preferencialmente com algum tipo de garantia que os seus serviços serão recompensados da maneira adequada e dentro do prazo combinado.

Blogs

Ter um blog é uma excelente oportunidade de, dentre outras vantagens, conseguir participar de projetos — antes da webfatorial, a maioria dos meus freelas, por exemplo, foram frutos de contatos realizados através este blog por pessoas com dúvidas ou explicitamente querendo serviços em desenvolvimento web. Algumas estão comigo até hoje, seja para manutenir o que foi feito; seja para o desenvolvimento de novos projetos.

Social Medias / Redes Sociais / Sites de relacionamentos

Social medias apresentam excelentes oportunidades de conhecer pessoas e potenciais futuros colegas de freelancers – há casos de equipes inteiras terem se formado através de contatos iniciais em social medias. Então, se você tem um blog – pode ser sobre qualquer coisa, mas, no caso, estou falando sobre desenvolvimento web -, não deixe de enviar seus bons artigos para social medias.

Ter um perfil nos principais sites de relacionamentos também pode ser uma boa, já que a maioria permite que você divulgue endereços de seu site/blog, disponibilize feeds e, principalmente, que você se afilie a diversas comunidades relacionadas a sua área de atuação e faça diversos contatos relevantes, aumentando seu networking potencial.

Fóruns de discussão

Outra situação bem corriqueira é o anúncio de procura de parcerias em fóruns de discussão. Chega a ser óbvio o fato de, num ambiente em que se discute principalmente sobre um assunto, aparecerem oportunidades justamente sobre esse determinado assunto. No caso do desenvolvimento web, o que não faltam são pessoas procurando parceiros para projetos pagos, realização de boas ideias, reuniões de brainstormings, reposição de vagas em agências, etc.

Situações desagradáveis acontecem…

Mesmo tomando todos os cuidados, procurando saber coisas a respeito de seu(s) parceiro(s) na web (você faz isso, certo?), procurando pessoas que já trabalharam com “fulano”, enfim, tomando as devidas precauções para que tudo dê certo, esteja ciente: situações desagradáveis acontecem!

Não é nada pessoal, nada a ver especificamente com você; são fatos da vida! Aconteceram, acontecem e sempre acontecerão situações que fogem ao nosso controle, causadas por pessoas que não se importam muito com seus pares… É assim, mesmo, não adianta espernear nem chamar a mamãe!

Relato de uma experiência pessoal

Faço regularmente trabalhos de desenvolvimento web para uma pessoa – que também é da área – desde o início do ano, mais ou menos. A pessoa sempre pagou em dia, eu sempre entreguei os trabalhos em dia, tudo normal. Mas… Chegou o momento em que somente eu cumpri minhas obrigações.

Eu entreguei um material de qualidade (o trabalho era de desenvolvimento de temas WordPress), tudo dentro dos prazos, mas o pagamento não foi feito dentro do acordado… Pelo fato de já ter realizado diversos trabalhos com a pessoa e tudo correr bem, descuidei-me o suficiente para entregar os trabalhos antes de receber a totalidade do pagamento – coisa básica sobre “freelanceamento” quando não há contrato para regulamentar os serviços. Conclusão: trabalhei de graça…!

Conclusão sobre parcerias de trabalhos de desenvolvimento web

Não caia na mesma burrada no mesmo equívoco que eu, querido leitor! Só entregue os materiais a seu parceiro/cliente depois do pagamento total do que foi combinado!  E outra: sempre que possível, faça contrato! Alguns usam o argumento de que um contrato tira a agilidade do projeto; fique atento a estes! Se a pessoa não quer fazer contrato, esteja certo de que alguma coisa tem – aprendi essas e outras lendo o Guia do Ilustrador que, apesar do nome, tem dicas para qualquer profissional freelancer.

E você, já passou por situações desagradáveis com parcerias? Gostaria de compartilhar alguma história triste? Comente!