dpw2019: a nova versão do blog

Conheça a dpw2019, nova versão do blog desenvolvimento para web, um dos blogs sobre webdev mais tradicionais do Brasil!

Relaxar e curtir a caminhada, porque a jornada o leva a alguns lugares memoráveis e inesperados.

Neil Gaiman

Como é tradição aqui no desenvolvimento para web, depois de alguns anos do lançamento do dpw2016, a webfatorial tem o prazer e a honra de apresentar o novo tema do blog: dpw2019!

Conteúdo e layout

Versões passadas do dpw, lado-a-lado.
dpw2009, dpw2010, dpw2012, dpw2016

Nesta nova versão do dpw, continuamos primando pelo minimalismo e objetividade de conteúdos. Seguindo a mesma “linha” do tema passado, nosso objetivo ainda é disponibilizar conteúdos sobre desenvolvimento web de alta qualidade de maneira bem direta; e é evidente que a maneira como os conteúdos são apresentados tem influência nisso.

Tecnicamente falando, agora o layout geral do dpw usa CSS Grid Layout. Através das novíssimas possibilidades de CSS Grid (logicamente conjugado com Flexbox), conseguimos com imensa facilidade chegar a efeitos e conjugações visuais há muito pretendidas e que, certamente, proveem uma melhor experiência e sensação gerais — se existe o termo “agradabilidade”, foi neste sentido que rumamos.

A legibilidade foi drasticamente aprimorada através da implementação de ritmo vertical de leitura. Fizemos um estudo seguido de implementação técnica para, em absolutamente todo o conteúdo textual do site, um ritmo vertical ser aplicado a fim de melhorar a legibilidade, tornando-a muito mais eficiente e, por consequência, permitindo aos visitantes uma melhor experiência de leitura.

WordPress

Mais de uma década de blog depois, continuamos com o WordPress como plataforma de publicação. Para não dizer que não consideramos outras possibilidades, avaliamos o uso de outras plataformas… Por uns 2 minutos; depois chegamos à conclusão de que realmente não valeria a pena trocar.  :-)

Na data de publicação deste artigo de lançamento do dpw2019 a versão 5 do WordPress está prestes a ser lançada, mas, mesmo antes disso, o DOW (Desenvolvimento Orientado a WordPress) deve continuar a todo o vapor. Muitas serão as novidades da nova versão — sendo a maior, evidentemente, o Gutenberg — , mas, por enquanto, seguimos no “devagar e sempre”.

Infra

Ainda na tradição de dpw de aprimoramentos constantes, temos novidades interessantes a respeito das engrenagens que fazem o blog continuar.

Google Cloud Platform

A AWS estava servindo muito bem aos propósitos do dpw, mas resolvemos fazer alguns testes com Google Cloud Platform que foram bastante surpreendentes. Obtivemos resultados bem satisfatórios usando uma infra menos parruda — usando principalmente Compute Engine e SQL — e optamos pela mudança: a partir de agora, o blog roda na GCP.

Stack Roots

Já há algum tempo, dentro da comunidade WordPress uma stack de tecnologia vem ganhado espaço é: Trellis, Bedrock e Sage, a trinca da Roots.

Trellis provê ambientes de desenvolvimento automatizados que, dentro do que temos de tecnologia para isso atualmente, certamente é um dos produtos mais eficientes e simples de se usar do mercado. Para quem pensava que Vagrant estava morto, o Trellis está para mostrar que ainda é possível fazer muita coisa boa e seu desuso pela comunidade está bem longe de acontecer.

Bedrock é um boilerplate de WordPress que fornece uma arquitetura altamente organizada e profissional, permitindo o uso de variáveis de ambiente, fazendo o gerenciamento de dependências com Composer e contando com uma fantástica dinâmica de arquivos.

Sage é a cereja do bolo. Considerado um “starter theme” pela própria Roots, ele traz à cena geral de desenvolvimento um workflow moderno de front-end com webpack com o template engine Blade (do Laravel). Trabalhar com controllers e uma template engine de qualidade inegavelmente eleva o desenvolvimento WordPress a outro nível.

A stack Roots de desenvolvimento WordPress merece vários artigos a respeito, mas, de antemão, fique com essa informação: uma vez entendido como essas 3 “peças” funcionam em conjunto e colhendo-se todas as vantagens que daí advêm, desenvolver WordPress sem este nível de qualidade torna-se quase impossível.

Performance

dpw2019: notas máximas em ferramentas de performance!

Da última versão para o dpw2019, muitas métricas de performance vêm sendo discutidas e novas técnicas aparecem. Uma das principais preocupações ao se desenvolver o dpw2019 foi essa: tornar o site o mais rápido possível.

Como comentado acima, a GCP ajudou bastante a proporcionar uma boa infra; isso conta muito — com HTTP2 habilitado ajudando bastante neste sentido. O uso de bons plugins (especialmente de cache) também conta no mundo WordPress, e o kit de plugins WPMU usados também contribui para o objetivo de conseguirmos um desempenho excelente — um deles, Hummingbird, é um um dos mais conceituados plugins de cache para WP.

Nas consagradas ferramentas de análise de performance, conseguimos sempre notas altas. Para não perder o timing do lançamento, resolvemos fazer o “go live” com ainda algumas pendências e pormenores de configuração de menor importância, mas a sensação de velocidade — uma das novas métricas que comentávamos — está impecável, como vocês bem poderão avaliar.

99 pontos de performance no Lighthouse e algumas páginas com Speed Index de menos de 800 pontos não é nada mau. :-)

Conclusão (e o futuro)

No geral, para o planejamento de recursos iniciais da nova versão — que, visivelmente, está bem melhor que a anterior –, ficamos satisfeitos com o resultado.

Em 2019, mudanças significativas no desenvolvimento para web, um dos blog mais tradicionais de webdev do Brasil, acontecerão. Tanto em relação a postagens e conteúdos, em geral, quanto a nível de possibilidades de interações e diferentes maneiras de disponibilização de conteúdos.

Agradecemos a todos os leitores, amigos e parceiros, que estão conosco nesta mais de uma década de blog e, sinceramente, esperamos mais uma vez ter conseguido agradar com o dpw2019; continuaremos oferecendo material de qualidade em desenvolvimento web.

Mais 10 anos! o/