5 diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins

Existem diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins. Saiba quais são elas e como identificar se seu portfolio está bom ou ruim.

Ir para o artigo

Ao olhar menos atento, pode parecer que não, mas existem diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins.

Diversos artigos aqui do dpw abordam o tema dos portfolios, com diversas dicas a respeito, dicas gerais e específicas, direcionamentos etc. E uma coisa que sempre comentamos sobre portfolios é que um portfolio, para ser considerado bom, tem que ser eficiente!

Ou seja, um bom portfolio é um portfolio eficiente: é aquele portfa que, devido a suas características positivas (planejadas), chama a atenção a tal ponto, que o visitante vai querer se comunicar com você por algum meio, deixando de ser um mero visitante para se tornar um contato qualificado, ou, como costumam chamar, um lead.

5 diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins: mulher vestindo roxo sentada na cadeira enquanto segura telefone.
Um bom portfolio é eficiente, ou seja, um bom portfolio gera “clientes qualificados” (ou leads).

E não é por acaso que algumas pessoas têm bons portfolio e outras não. Existem técnicas para incrementar a qualidade da exposição de seus jobs para que seu portfa seja mais eficiente. E há quem e aplique e quem não aplique, quer dizer, uma diferença entre portfolios.

Não é difícil de entender que quem usa determinadas técnicas, tende a ter um portfolio melhor, que converte mais. E, conhecendo essas técnicas, é possível notar diferenças entre bons portfolios e maus portfolios.

Veja, então, 5 diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins.

Comprometimento com o portfolio

Quem se compromete com seu portfolio, inegável e inevitavelmente vai ter um portfolio mais eficiente que quem não liga muito para seu portfa. Tenha certeza disso.

Um portfolio tem que ser uma entidade virtual “viva”; que recebe melhorias periódicas; que está em constante evolução. Um portfolio eficiente é bem tratado e nunca abandonado por seu(s) criador(es), que sempre está(ão) aplicando novas técnicas, corrigindo bugs, vislumbrando novas possibilidades, enfim, não o deixa abandonado.

Se este é o seu caso, se você criou um portfolio “só para constar” e fica reclamando da falta de interesse e falta de contatos de clientes em potencial, aí está um baita indicativo.

Portfolio com método

Às vezes, é possível encontrar um bom portfolio, um que chama a atenção e você não sabe muito bem o porquê — não estamos falando aqui somente de “beleza”.

Não se sabe se por sua organização, se pelos itens que o compõe, sua disposição, enfim, ele tem “algo” que o faz ser bom, mas, geralmente, olhares menos treinados não se conseguem identificar e apontar exatamente o porquê.

Este, certamente, é um portfolio com método, ou seja, um portfolio que foi bem desenvolvido, bem pensado, usando boas técnicas, está em constante evolução, enfim, um portfolio que “não está para brincadeira”, estando ali para agradar, encantar, convencer e converter.

Essa é uma das grandes diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins. O seu portfolio tem método?

Portfolio “mal relacionado”

Se você começar a andar com pessoas pessimistas, que só tratam de assuntos pesados, conversas “down” não-construtivas e coisas assim, a tendência é que você também fique desse jeito, que comece a se comportar/pensar baseado no que vê em seu dia-a-dia — veja bem, estamos falando de uma tendência.

O mesmo vale para seu portfolio: se ele está em um “grupo de portfolios” de pessoas que não procuram suas respectivas evoluções, que não são atualizados frequentemente, que não são feitos a partir das técnicas certas de apresentação etc., a tendência é que esse portfolio seja tão ineficiente quanto todos esses outros.

Um portfolio tem que ser uma entidade virtual “viva”; que recebe melhorias periódicas; que está em constante evolução. Tuitar isso

Até mesmo sites cujo propósito é disponibilizar uma maneira fácil para profissionais de web exporem seus trabalhos, se este recurso for ruim, mal feito, ineficiente, vai prejudicar o seu desempenho e deixar de abrir determinadas portas importantes.

Portanto, muito cuidado com os amiguinhos do seu portfolio… Se eles não estiverem acrescentando em nada, é hora de pensar em trocar de parquinho.  ;-)

Um portfolio que quer ser eficiente “apesar de”

Aqui, poderíamos ter usado o termo “Um portfolio resiliente” que daria quase no mesmo; mas como esse termo já virou modinha (até meme), vamos usar um portfolio eficiente “apesar de”.

Mas o quê isso quer dizer? Quer dizer um portfolio que é eficiente:

  • Apesar de você ainda não ter clientes “oficiais”;
  • Apesar de você não saber como fazer um bom web design;
  • Apesar de você desconhecer boas técnicas para montar portfolios;
  • Apesar de ele estar hospedado em um servidor ruim;
  • Apesar de dizerem que seu portfolio não está tão bom assim;
  • Enfim, um portfolio que quer ser eficiente apesar de tudo isso!

Problemas e equívocos em projetos web, todos nós temos, mas superá-los é a chave para ir além.

Se realmente quer ter um portfolio eficiente, que consegue proporcionar leads rumo ao fechamento de novos jobs, você deve ter um carinho profundo com seu portfolio.

Ele deve estar em constante evolução, sempre recebendo um”retoque”. Você não deve ter medo de fazer alterações para melhor, mesmo que elas sejam bruscas.

O portfolio deve estar “em terreno fértil”

“Primeiro vocês falaram que o portfolio tem que estar bem relacionado e agora que tem que estar ‘em terreno fértil’?”… haha, pode parecer engraçado, mas é isso mesmo!

Essa metáfora é fácil de ser entendida: dificilmente uma árvore vai vingar se suas sementes forem plantadas no deserto. E, adivinhe… O mesmo acontece com seu portfolio.

Se ele não está “em terreno fértil”, quer dizer, se não tem as condições propícias para crescer e se desenvolver, é ilusão (ou ingenuidade) esperar que ele se torne eficiente e propicie alto volume de leads.

5 diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins: duas pessoas sentadas, conversando ao redor de uma mesa com notebook e cadernos em cima.
Seu portfolio traz o lead; você o converte.

Sabemos que, principalmente para quem está começando, pode ser difícil separar “fertilizantes” de “venenos” — diferenciar técnicas que produzem diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins — afinal, nós também já fomos iniciantes e passamos por muitas dificuldades desta natureza.

Quanto a isso, não se preocupe. Continue lendo bastante os conteúdos do dpw e siga-nos nas redes sociais para sempre receber as melhores dicas sobre como montar um portfolio eficiente.  ;-)

Conclusão sobre diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins

Recapitulando, as 5 diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins são:

  1. Comprometimento
  2. Método
  3. Comparação
  4. Resiliência
  5. Uso das técnicas certas

Se você já tem um portfolio que não está convertendo e, quando se depara com um bom portfolio, fica se perguntando quais as diferenças entre eles, estes são ótimos indicativos para você ter em mente.

Raramente, algo dá certo por mera sorte; na esmagadora maioria das vezes, algo é melhor devido à aplicação de métodos e técnicas específicos para que aquele fim seja alcançado. Não levar isso em conta é ser, no mínimo, muito ingênuo.

Lembre-se desses objetivos de todo portfolio:  agradar, encantar, convencer e converter.

Agora que você já conhece algumas diferenças entre portfolios eficientes e portfolios ruins, dê uma olhada imediatamente em seu portfolio e se pergunte no quê ele pode melhorar hoje!

E-book com 10 dicas para montar seu portfolio altamente eficiente e conseguir muito mais clientes e projetos!

Download GRÁTIS