Introdução à gamificação (parte 2): vantagens da gamificação

Segunda parte do artigo “Introdução à gamificação”, apresentando as principais vantagens em gamificar uma aplicação.

Ir para o artigo

Na primeira parte da série introdutória sobre gamificação, foi apresentando o que é gamificação e 5 componentes essenciais para gamificar uma aplicação. Nesta segunda parte, serão apresentadas as principais vantagens da gamificação em um site/app.

Gamificação torna experiências divertidas

A primeira vantagem da gamificação remete ao fato de as pessoas se lembrarem de sentimentos, bons ou ruins, sentidos no auge e no fim de experiências. Razão pela qual, em psicologia, isso chamado de Regra Pico-Fim.

Então, toda vez que criamos produtos que não são destinados a gerar emoções positivas, estamos oferecendo uma experiência chata e não-memorável e/ou negativa. Em longo prazo, ambos são igualmente ruins.

Introdução à gamificação: ilustração da Regra Pico-Fim no contexto de gamificação

Gamificação incentiva o retorno

A segunda vantagem de gamificação mostra que sistemas gamificados são como uma ponte entre as sessões dos jogadores e, geralmente, exigem que eles retornem para concluir uma meta ou reivindicar uma recompensa.

As pessoas também temos uma tendência a lembrar processos incompletos melhor que os completos, de acordo com o efeito Zeigarnik. Assim, ter algo em andamento para voltar dá aos jogadores um motivo extra para retornar.

Introdução à gamificação: vantagem gamificação: ilustração retratando o estímulo ao retorno oferecido pela gamificação

Gamificação é a cereja do bolo, não o próprio bolo

Em uma escala de prioridade, produtos/serviços precisam primeiro ser funcionais e utilizáveis. Se as pessoas não puderem concluir tarefas devido a implementações deficientes ou a projetos de interação deficientes, não é a gamificação que operará algum tipo de milagre.

Gamificação não corrige problemas técnicos, de planejamento ou de usabilidade em produtos/serviços.

Introdução à gamificação: pirâmide de importância, mostrando que gamificação está no topo, ocupando um espaço menor

Gamificação deve estar “amarrado” ao produto

A gamificação funciona quando está estritamente ligada à oferta principal do produto ou serviço. Os melhores sistemas gamificados de todos os tempos foram construídos como parte integrante do produto desde o início.

A parte boa é que, contanto que a natureza do quê se está ofertando permita tal processo, elementos de gamificação podem ser adicionados em um estágio posterior e serem igualmente eficazes.

Fim da segunda parte sobre introdução à gamificação

Neste segundo artigo da série, foram apresentadas as principais vantagens em se gamificar uma aplicação.

Se há uma coisa que vale a pena ter em mente, ela pode ser resumida por uma citação de Matthew Farber, professor assistente da Universidade do Norte do Colorado e autor de alguns livros sobre gamificação:

Jogamos quando é divertido; trabalhamos quando não é.

No próximo artigo da série, o artigo final sobre introdução à gamificação, serão mostrados exemplos reais do uso de gamificação.

E-book com 10 dicas para montar seu portfolio altamente eficiente e conseguir muito mais clientes e projetos!

Download GRÁTIS